Cinema10 » Críticas

Publicação
Biografia:

No Cinema10 você encontra as últimas novidades do mundo do cinema, filmes em cartaz, filmes que serão lançados em breve, filmes em DVD, os ganhadores do Oscar, as últimas notícias das celebridades e dos grandes artistas do cinema mundial.

Críticos

Críticas

108 críticas
44 T-Kritz

Jason Statham é, depois dos ícones clássicos, o atual melhor ator de ação que temos no cinema hollywoodiano. Infelizmente, os roteiristas não produzem bons roteiros de ação com frequência. Statham, por sua vez, não é tão seletivo. Parker é um desperdício de talento e de sangue cenográfico.

49 T-Kritz

Rubens Rewald, que escreveu Super Nada e dirige o filme ao lado de Rossana Foglia, não esqueceu desse detalhe essencial. Super Nada não tem moldes, pois é cinema genuíno. Ainda que herde da história do cinema a sua linguagem básica, uma obra de verdadeiro ineditismo surge com essa produção.

57 T-Kritz

Oz: Mágico e Poderoso não consegue se livrar das amarras do cinema comercial e recai em infindáveis clichês e desfechos vergonhosos.

65 T-Kritz

Uma reinvenção do mockumentary.

70 T-Kritz

O surgimento de cineastas como Juliana Reis servem de exemplo para aqueles que ainda desacreditam as obras nacionais de menor apelo comercial.

49 T-Kritz

Em sua estreia como diretora, Jolie prova que é melhor como atriz.

78 T-Kritz

É um dedo na ferida.

48 T-Kritz

Não é uma história do vibrador. Tampouco uma história da histeria. Com um caráter verdadeiramente histórico enfraquecido, afinal, não se trata de um documentário, as entrelinhas são, nesse longa, mais importantes que a trama óbvia.

36 T-Kritz

O que já havia decaído chega ao fundo do poço em Atividade Paranormal 4.

83 T-Kritz

007 - Operação Skyfall é um tapa de luva na face daqueles que desconsideram todo e qualquer produto da cultura mainstream. É uma obra disposta a permanecer intacta em sua grandiosidade durante gerações. E que mais canções como “Skyfall”, interpretada por Adele, venham a embalar as tradicionais aberturas dos futuros rebentos de Ian Fleming.

27 T-Kritz

Tão engraçado quanto o Zorra Total. Não. Isso não é um elogio.

100 T-Kritz

em, em momento algum criar situações vulgares ou personagens caricatos, o longa presenteou o cinema, enquanto arte, com uma obra inesquecível e que, não importa quantas vezes a fórmula seja repetida, jamais poderá ser tachada de clichê.

56 T-Kritz

Sombras da Noite é uma comédia para todos os gostos e, ainda assim, bastante inteligente. Explora um personagem de uma época distante inserido em tempos de mudanças sem, em momento algum, se perder no próprio contexto. Com segurança consegue convencer com uma história simples e bastante previsível.

49 T-Kritz

Recheado de machismo descarado, E Aí, Comeu? é a revelação do fantástico mundo masculino, um buraco de fechadura por onde qualquer um pode espiar. Além disso, o longa admite que, por trás de toda essa baixaria masculina há, na verdade, um homem que busca a redenção em uma mulher.

69 T-Kritz

Ao fim, o filme é um desperdício de talentos, ou seja, um grupo de atores incríveis, sob a direção de um diretor realmente genial, que na verdade só estão brincando de casinha em cima de um roteiro fraco e incapaz de se aprofundar em pelo menos uma questão filosófica ou minimamente existencial.

26 T-Kritz

Com todos os erros aliados às péssimas interpretações de todos os personagens e uma montagem capaz de piorar com mérito um roteiro fracassado, Armadilha soa como noventa minutos de completa perda de tempo, onde você torce pelo assassino (sobre o qual nada se sabe) para que ele acabe com a sessão de (cine)tortura psicológica.

73 T-Kritz

Mesmo não sendo memorável, Polanski revela as sutilezas do embate humano quando se depara com a anarquia para enfrentar seus demônios. Também não é perturbador em comparação com outras obras do diretor – como O Bebê de Rosemary ou Chinatown – muito pelo contrário, é furioso, por vezes engraçado e curto.

71 T-Kritz

Correndo o risco de ser uma caricatura, Michelle Williams torna Marilyn viva, seja na doçura, no apelo sexual ou mesmo em momentos de estrelismo e Kenneth Branagh é o Olivier já cinquentão, vaidoso, calculista, tentando entender os encantos de um mito que o mundo jamais esqueceria.

60 T-Kritz

Sem pontas soltas e com uma deixa sutil para uma sequência que, espero, nunca venha a existir, a sessão termina e deixa aquela sensação maravilhosa de desfecho satisfatório.

85 T-Kritz

Quase inexperiente no cinema, Whedon demonstrou coragem ao aceitar a liderança do maior projeto da Marvel até então e, acima de tudo, inteligência e competência para transformar o que começava a parecer atrapalhado em um evento verdadeiramente imperdível.

1 2 3 4 5 6