Gostou do nosso site?
Então curta!

O Massacre da Serra Elétrica 3D - A Lenda Continua » Críticas

Estreia: 17 de maio de 2013
Assista ao trailer Comentários0 Acessos 162
Marcar 'favorito' (precisa estar logado)0Marcar 'quero ver' (precisa estar logado)0Marcar 'já vi' (precisa estar logado)17Marcar 'não tenho interesse' (precisa estar logado)0
39
T-Kritz
Baseada em 14 crítico(s)
Avaliações geralmente desfavoráveis.
Incorporar T-Kritz
Após fazer sua seleção, copie e cole o código de incorporação acima. O código muda de acordo com a seleção.
Padrão Pequeno
Minha Avaliação
0102030405060708090100 Escreva uma crítica (precisa estar logado) Deixe um comentário (precisa estar logado)

Críticas

14 críticas

O novo filme da saga de Leatherface é um grande engano, e se salva apenas pela presença da belíssima Alexandra Daddario...

Todos os elementos clássicos estão inseridos, como a fuga desesperada da desastrada heroína (vivida por Alexandra Daddario, que deveria trocar de agente) ao som da motosserra, porém não surtem efeito algum, já que não são acompanhados pelo mínimo de construção de suspense necessário.

Deixando passar a grande improbabilidade cronológica, o novo exemplar realmente não possui muito a oferecer. Esse é um produto ordinário do gênero, recomendado apenas para os aficionados.

Se repaginar o clássico vilão é uma das razões de existir da descartável continuação, provar que há decisões imbecis, ainda inexploradas, a ser tomadas por adultos semi-nus é enfim a cereja do bolo.

Curiosamente, Hooper utiliza no início os trechos do filme original e não de sua refilmagem, para situar o espectador no espaço e no tempo. Fato que torna tudo um tanto saudosista, apesar de estar em 3D.

Povoado por personagens incrivelmente estúpidos mesmo para os padrões do gênero, Massacre 3D não se contenta em apresenta-los como os meros arquétipos que são, fazendo questão de leva-los a tomar decisões absurdas que só não soam mais constrangedoras que os esforços dos próprios realizadores.

Ignorando-se os “detalhes” e não levando nada muito a sério, é possível se divertir. O clímax é bem interessante, pois tenta humanizar a figura de Leatherface.

Os fãs do gore devem apreciar as (lamentavelmente poucas) mortes promovidas por Leatherface (Dan Yeager) - motosseras ficam lindas em 3D -, mas fica a ressalva do novo status quo do psicopata.

Diferente das outras encarnações de Leatherface, o novo “O Massacre da Serra Elétrica” assume a responsabilidade de se apresentar como uma espécie de continuação direta do clássico de Tobe Hopper. O faz a princípio de modo promissor ao resgatar para a sua abertura as cenas mais chocantes do original como método de envolver as novas gerações.

Sendo capaz de trazer o Leatherface menos ameaçador da franquia, apesar de com uma finalidade aparentemente “nobre”, a única esperança que O Massacre da Serra Elétrica 3D – A Lenda Continua possui é a de que talvez esse seja o último exemplar por um bom tempo. Está na hora de dar um grande descanso aos Sawyers.

Apesar dos problemas de roteiro, como a tentativa de transformar Leatherface em anti-herói, o diretor John Luessenhop acerta em esmiuçar a personalidade do assassino, demonstrando que ele é também um produto de seu meio.

O melhor de O Massacre da Serra Elétrica 3D - A Lenda Continua ainda é a ambiguidade em torno do vilão, satisfatoriamente explorada pelo novo filme. Leatherface não é uma pessoa malvada, ele apenas quer se vingar daqueles que mataram a sua família.

Mais uma rodada de cenas grotescas, narradas sem a atmosfera angustiante do filme de Hooper, mas com uma boa surpresinha na parte final.

Mas como o roteiro, escrito a seis preguiçosas mãos, é mais desleixado e furado que um queijo suíço, nem dá para levar isso muito a sério. Alias, se busca algum entretenimento com o filme - ele até diverte mesmo, mas não como deveria ser - melhor não levar nada muito a sério.